Neuroendoscopia

Da mesma forma que a cirurgia de abdômen evoluiu e hoje a maior parte das cirurgias são feitas por laparoscopia - técnica em que um endoscópio entra no abdômen através de pequenas incisões, a Neurocirurgia começa a trilhar o mesmo caminho.

Um endoscópio cirúrgico é um instrumento óptico para a visualização de estruturas no interior de uma cavidade. Além dos cirurgiões gerais e do aparelho digestivo, outras especialidades como a ortopedia e a ginecologia já usam a técnica.

 

Como funciona:

Os instrumentos cirúrgicos são adaptados e passam por dentro do endoscópio ou por pequenas aberturas. Na Neurocirurgia chamamos a técnica de neuroendoscopia.

Visualização: A endoscopia permite a habilidade de ver no interior de cavidades com magnificação - aumento da imagem

 

Vantagens:

A neuroendoscopia possibilita o acesso a tumores, sangramentos e outras lesões, mesmo que profundas, sem a necessidade de um grande acesso cirúrgico. Isto resulta em menor tempo cirúrgico, melhor precisão, menor quantidade de sangramento e menor tempo de internação. Tudo isto visando melhores resultados cirúrgicos com segurança e conforto para o paciente. Os riscos para pacientes diminuem, uma vez que a qualidade das imagens é melhor e o método, menos invasivo.

 

Indicações para neuroendoscopia na neurocirurgia são:

  • Hidrocefalia (ventriculostomia)
  • Processos expansivos intraventriculares (tumores e cistos)
  • Cistos aracnoides e tumores cerebrais císticos
  • Hemorragias intraventriculares e outras intervenções intraventriculares
  • Neurocirurgia assistida por endoscopia
  • Tumores da base do crânio
  • Cirurgia transesfenoidal transnasal da hipófise (cirurgia de hipófise por endoscopia)
  • Remoção de hemorragias do tecido cerebral
  • Biópsia cerebral

Novas opções surgem no horizonte da neurocirurgia graças à aplicação de técnicas minimamente invasivas, sobretudo na área do diagnóstico e da terapia de patologias intracranianas.

Quer mais informações? Agende a sua consulta!